Parabéns, Guaratinguetá: 392 anos!

13/06/2022

Parabéns, Guaratinguetá: 392 anos!

Saiba mais sobre a história da nossa cidade!

O nome “Guaratinguetá” em Tupi-guarani significa muitas garças, sendo “gûyrátinga” a junção dos prefixos “gûyrá” (garça ou pássaro branco) e “etá” (muitos). A fundação da cidade se deu em 13 de junho de 1630, dia do padroeiro da cidade: Santo Antônio. Recebeu o nome de Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá em 1651 pelo capitão Domingos Luiz Lemes. 

No século XVII foi um importante centro de Bandeirantismo e se torna a mais importante cidade do Vale do Paraíba. O período também foi expressivo para a cidade, pois além dos ciclos econômicos que a cidade atravessou em 1717, neste período foi encontrada a imagem de Nossa Senhora da Aparecida, nasceu Frei Galvão e foi fundada a Irmandade de São Benedito junto a Capela de São Gonçalo, acontecimentos marcaram e ainda marcam a cultura da cidade, e são presentes até os dias atuais. No século XIX o Príncipe Dom Pedro passa e pousa na residência do Capitão Mor das Ordenanças Manoel José de Mello (terreno onde hoje se localiza o prédio da ACEG) a caminho de proclamar a Independência do Brasil em 1822, e 22 anos após esse fato a vila é elevada a cidade. Durante o século XIX o café foi o seu principal produto econômico, sendo que lar de um dos principais cafeicultores do Império: Francisco de Assis Oliveira Borges – Visconde de Guaratinguetá. Por muitos anos a cidade ficou conhecida como a “Athenas do Vale” pelo alto teor de sua produção cultural e intelectual em todos os ramos do saber humano (Exato, Humano e Biológico) e pela Instituto de Educação (hoje Escola Estadual Conselheiro Rodrigues Alves) e no Século XX (já no período republicano) a cidade tem um dos seus filhos alcançando o posto máximo do governo do país: a cadeira de Presidente da República. Francisco de Paula Rodrigues Alves comandará o país entre 1902 e 1906. Foi reeleito em 1918, mas não assume devido a problemas de saúde vindo a falecer em 1919. Em 1932 Guaratinguetá participa ativamente da Revolução Constitucionalista, com doze participantes no primeiro conflito do processo revolucionário, além de compor um Batalhão junto com a cidade de Aparecida e de ter sua Casa do Soldado Constitucionalista (onde hoje é a ACEG). Durante o processo revolucionário de 1932 a cidade participará com 228 pessoas que atuaram direta e indiretamente durante todo o processo. 

A partir da década de 1950 se inicia um período marcado pelo desenvolvimento, recebendo a Escola de Especialistas de Aeronáutica, a Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (FEG) e indústrias como a Liebherr e a BASF, ACG e outras mais que aqui encontraram seu território, fazendo a cidade aspirar cada dia mais o progresso.

Autor: Leandro Pereira Dos Santos (Historiador, MTE 0000275/SP)

Skip to content