Dia 9 de julho, 89° aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932: Veja como foi em Guaratinguetá

09/07/2021

Hoje dia 09 de julho, é celebrado a data histórica e reflexiva sobre a Revolução Constitucionalista de 1932. Vamos relembrar?

Logo depois de nove de julho , em Guaratinguetá, o Delegado Venâncio Ayres proclamou a população a defender Cunha, que já estava sendo avistado pelos Fuzileiros Navais comandados por Amaral Peixoto.

Em seguida, se apresentaram 12 voluntários guaratinguetaenses, entre eles José Juvenal Monteiro dos Santos (nome da avenida da Rodoviária), que foram segurar Cunha das tropas do governo federal. Tiveram vitória, e com isso Guaratinguetá ainda respirou até a chegada da Força Pública.

Em torno de 237 guaratinguetaenses se envolveram no conflito, de forma direta ou indiretamente, sendo que foi instalada uma Casa do Soldado Constitucionalista na cidade (no mesmo prédio hoje funciona a Associação Comercial e Empresarial de Guaratinguetá – ACEG).

A cidade foi bombardeada pelos temíveis “Vermelhinhos”, que arrasaram tudo que encontravam. Já no final do conflito a estação do Engenheiro Neiva foi bombardeada, mas nossa cidade resistiu até o final do conflito, sendo castigada pela aviação federal e pelas tropas federais.

O final foi em 02 de outubro de 1932, sendo que em Guaratinguetá o final foi em 10 de outubro, pois aqui a Última Trincheira (Fazenda Paiol) não se rendeu e continuou os embates por mais oito dias. Na Última Trincheira estavam vários nomes de peso, como Drº Zerbini e Adhemar de Barros.

Aqui em Guaratinguetá a memória da Revolução é preservada pela Sociedade Heróis Desconhecidos, sociedade essa que busca preservar a história e a memória do movimento de 1932.

Skip to content