As Sete Maravilhas de Guaratinguetá: Cavalaria de São Gonçalo e São Benedito

13/06/2021


A cavalaria surgiu com a construção de uma capela em homenagem a São Gonçalo, que é considerado o padroeiro dos caminhantes, cavaleiros, tropeiros e homens de estrada. A igreja, apesar de ter sido construída para São Gonçalo, foi entregue aos cuidados da Irmandade de São Benedito, em 1768. E assim a celebração passou a ser feita em homenagem aos dois santos


As festividades contavam com grande participação de negros escravizados, que desfilavam montados nos cavalos de seus senhores. Para muitos, este seria o único dia do ano em que podiam festejar e comer tradicionais doces da festa. Depois da abolição o número de pessoas que se envolviam nas festividades cresceu, incluindo agora os fazendeiros, suas famílias e empregados, além dos devotos dos santos homenageados.


A cavalaria mantém um ritual que começa na manhã do domingo de páscoa, e acaba na segunda-feira. Tudo se inicia com o toque de caixas para alertar a população das festividades, algo feito antes da existência de auto-falantes. A cavalaria passa primeiro em frente ao cemitério, a fim de saudar os companheiros falecidos. Depois, todos se dirigem à igreja de São Benedito do Campo do Galvão, onde é guardado o mastro da festa, que é carregado nos braços pelos participantes e escoltado pela cavalaria.


O mastro tem 10 metros e, a tradição diz que os pedidos daquele que carrega-o, serão enviados diretamente para o céu. Após cruzar a cidade, o mastro finalmente chega à Igreja oficial da Festa, onde é erguido. Lá, acontecem apresentações coreografadas pelos membros mais velhos da cavalaria e, também se unem à festa grupos de congada, moçambique, clubes de cavalo e grupos de tropeiros.

Skip to content